Tudo sobre Ballet :: Os Ballets de Repertório
 
 
A Bela Adormecida

A Bela Adormecida

Ballet em 1 prólogo e 3 atos (o prólogo e o primeiro ato transcorrem no séc. XVI. Os dois últimos atos no século XVII.)

Música: Peter Ilich Tchaikovsky (opus 66)
Coreografia: Marius Petipa
História: Marius Petipa e Ivan Vsevolojsky
Estréia: 15 de janeiro de 1890 em São Petesburgo - Rússia
1a Bailarina: Carlotta Brianza interpretou Aurora
1o Bailarino: Paul Gerdt interpretou o Príncipe
Fada Lilás: Marie Petipa

Personagens: Rei Florestano XXIV, Rainha, Cantalbutte (mestre de cerimônias), Fada dos Pinheirais, Fada da Flor de Cerejeira, Fada dos Colibris, Fada dos pássaros Canoros, Fada Cravo, Fada do Freixo da Montanha, Fada lilás, Carabosse (fada má), Princesa Aurora, Príncipe Encantado (Florimundo), Ratos, Amas da princesa, Ministros do Estado, Pajens, Arauto do rei, Médico do Rei, Damas de Honra, Príncipe espanhol, Príncipe indiano, Prínicipe italiano, Príncipe inglês, Pierrette, Colombina, Pierrot, Arlequim, Gato de Botas, Gatinha Branca, Pássaro Azul, Princesa Encantada, Chapeuzinho Vermelho, Lobo, Barba-Azul, Ariana, Ana, Sheherazade, Xá, Princesas de Porcelana e Mandarim.

Prólogo - O Batizado

No palácio do Rei Florestano XXIV estão sendo feitos os preparativos para o batismo de sua filhinha, a Princesa Aurora. Vão aos poucos entrando as visitas que começavam a chegar, umas voando, outras em carruagens, sempre acompanhadas por dois pajens que traziam os presentes para a princesinha e conduzidos por Cantalbutte (mestre de cerimônias). Num berço, dormia a princesinha. Uma fanfarra de trompas anuncia a entrada dos soberanos, que beijam a filha, e tomam assento nos tronos. As fadas seriam as madrinhas da princesinha, então elas entram com presentes para Aurora. A última a chegar é a Fada Lilás, que será a protetora da Princesa. As fadas prometem que Aurora terá beleza, graça e talento. Cada uma das fadas dança um solo característico, culminando com a valsa da Fada Lilás. Quando as fadas se reúnem dançando em torno do berço de ouro, há uma agitação e surge uma nuvem negra, pelas portas e janelas da sala de trono assustando a todos. Ouviu-se um enorme barulho de trovão e um pajem anuncia que está chegando Carabosse (fada má), que entra numa carruagem negra puxada por quatro ratos. A feiticeira está zangadíssima porque não foi convidada para ser madrinha de Aurora, como as outras fadas, e ameaça Cantalbutte. O rei certifica-se de que não a havia convidado e tenta explicar-lhe, como se tivesse sido um engano de seu auxiliar, encarregado dos convites. Carabosse, porém não está disposta a perdoá-lo e dirige-se a ele ameaçando-o por essa falha.

A Carabosse tenta se aproximar do berço, mas as outras fadas a impedem. Carabosse vira-se, então, para os soberanos, e diz que mesmo não tendo sido convidada, ela estava ali e também queria dar seu presente à Aurora. Um fuso, um objeto pontudo como se fosse um grande alfinete.

Seu desejo era que a princesa crescesse talentosa, graciosa e bonita, mas um dia teria seu dedo espetado por um alfinete e então morreria. Carabosse tenta de novo se aproximar do berço, mas a Fada Lilás não deixa. Depois de jogar seu feitiço e furiosa, a fada vai embora, deixando com todos uma grande tristeza.

Até que a fada Lilás consola a todos, dizendo que tinha o poder de dar mais um presente à afilhada. A promessa de que a maldade não seria satisfeita por completo, ela não morreria quando se espetasse, mas dormiria um sono profundo até que um príncipe venha a desperta-la com um beijo de verdadeiro amor.

1o Ato - O Encantamento

O tempo passou. Dezesseis anos em que os reis cercaram a filha de proteção e cuidado. O rei proibira, desde a profecia de Carabosse, fusos e agulhas em seu reino.

Estavam preparando a festa de aniversário de dezesseis anos da princesa Aurora e durante todo esse tempo ninguém mais falou sobre o presente e o desejo de Carabosse. A princesa Aurora nada sabia dessa história, pois seus pais não queriam amedrontá-la. Nessa festa ela ia conhecer quatro príncipes que vinham pedi-la em casamento e escolher aquele com quem iria se casar. Ocorre uma dança em honra aos quatro príncipes, que vieram da Inglaterra, da Itália, da Espanha, e da Índia. Todos quatro estavam encantados com a beleza da Princesa. Estava maravilhada com a festa, com a música, com os convidados e aproveitava todos os momentos para lembrá-los por toda a vida.

Cantalbutte, ao ver fusos nas mãos de alguns jovens, apressa-se a arrancá-los deles, lembrando a proibição real. Entram o rei e a rainha. O rei, ao ver os fusos, fica furioso, mas é acalmado pela esposa. Depois que os príncipes se apresentam, entra Aurora. Aurora é apresentada aos príncipes, seguindo-se o conhecido Adágio da Rosa, quando a Princesa dança com os quatro pretendentes. Depois, as danças das damas de honra e dos pajens. Uma velha encapuzada entra despercebida e oferece a Aurora um fuso de ouro, escondido debaixo de sua capa. O rei e seus amigos se amedrontam com o presente da velha e Aurora não entende por que do medo e do susto, pois tanto a velha quanto o presente pareciam inofensivos. Como nunca tinha visto nada como aquele objeto, a princesa o aceita sem saber o perigo que estava correndo. Agita o fuso sobre sua cabeça e dança entre os convidados segurando e brincando com a novidade que ganhara, deixando seus pais e os convidados paralisados de pavor. Tentam tirar o objeto de suas mãos, mas no meio da brincadeira, ela espeta o dedo na ponta afiada do fuso e pouco a pouco vai caindo como se estivesse desmaiando. Ouve-se um estrondo e a dama desconhecida se revela como Carabosse, rindo triunfante e vendo que seu feitiço estava realizado ela foge em seguida, deixando os reis e os príncipes desolados.

Nesse momento aparece a Fada Lilás para cumprir sua promessa feita no dia do batizado. Manda que levem a Princesa para o palácio e, com sua varinha mágica ela faz parar o tempo e não só a princesa, mas toda a corte adormece por cem anos cercados por uma grande floresta de árvores e flores.

2o Ato - A visão

O tempo passou e todos continuaram dormindo no castelo, cercado por uma grande floresta que a fada lilás fez crescer para escondê-lo.

Em outro reino muito distante, morava o príncipe Florimundo, que vivia com seus amigos divertindo-se em cassadas. Apesar de suas amizades, o príncipe se sentia só e triste por não ter ainda encontrado um amor. Um dia, ao descansar embaixo de uma árvore no bosque, o príncipe sonhou com um grande lago, com um barco em forma de concha e dentro dele a Fada Lilás, que lhe disse saber o que se passava no seu coração e contou-lhe então, através de uma visão, de um sonho a história de Aurora. Ele se apaixona por Aurora e dança com ela. Acaba a visão. O príncipe se queixa à Fada Lilás que promete levá-lo ao castelo, onde a Bela Adormecida espera um beijo de amor. Ele desperta decidido a encontrá-la, beijá-la e fazê-la reviver através do seu amor. Pede à Fada Lilás que o leve ao seu encontro, e ela oferecendo-lhe o seu barco, ensina-lhe o caminho do reino encantado. Na viagem, o príncipe enfrenta uma série de perigos preparados por Carabosse, que já sabia da sua intenção de desencantar a princesa. Com a força do seu amor, porém, consegue chegar até o castelo.

3o Ato - O despertar e o casamento

Ele se assusta ao chegar ao castelo porque realmente todos estão dormindo. O grande salão do rei, envolto em pó e teias de aranhas, num abandono de um século. No centro do salão, um esquife, e, dentro dele, a Princesa Aurora adormecida.

A Fada Lilás, que já estava lá a sua espera, leva-o até o lugar onde está A Bela Adormecida, coberta por um véu. O príncipe se aproxima e, ao ver Aurora, mais bonita ali na realidade do que em seu sonho, beija docemente o seu rosto e aos poucos ela vai acordando. Ao se olharem, os dois descobrem ter encontrado o verdadeiro amor. Logo o salão se enche de luz, desaparecendo os vestígios de abandono. O esquife mergulha no chão, e o palácio ressurge em todo o seu esplendor. Todos despertam do sono de cem anos como se estivesse dormido apenas uma noite. O feitiço havia terminado.

O príncipe pede Aurora em casamento e o rei aceita e concorda em realizar a cerimônia imediatamente. Outra grande festa é organizada no castelo e como tudo isso fora obra da Fada Lilás, todos os seus amigos dos contos de fadas infantis comparecem ao casamento com suas danças características. O Gato de Botas com uma gata branca, Chapeuzinho Vermelho com o Lobo Mau, Cinderela e o Príncipe, A Bela e a Fera, O Pássaro Azul e a Princesa encantada, o Pequeno Polegar e muitos outros. Depois, o casal dança um longo Pas de Deux. Concluído este, todos se juntam numa brilhante Mazurca final, numa grande alegria. Foi uma festa maravilhosa.

 
Voltar
 
 
 
 
 
 
 
Informações para os Pais
Copyright (c) 2010 Shirley Rodrigues Bizutti Merlotto. Todos os direitos reservados.